A INFLUÊNCIA DOS PRÉ-TRATAMENTOS ÁCIDO E ALCALINO NO PROCESSO DE DESLIGNIFICAÇÃO DO BAGAÇO DE SORGO SACARINO, PARA PRODUÇÃO DE ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO

Maisa Fabricia de Brito, Daniel Fernandes Silva, José Evaristo Gonçalves, Beatriz P. Melo, Lucas Fernandes Silva, Leila Cristina Konradt Moraes

Resumo


Recentemente a demanda mundial por etanol combustível tem se expandido de forma muito rápida, principalmente nos países mais desenvolvidos e nos de maior consumo de combustíveis automotivos. O etanol - (C2H5OH) é produzido pela fermentação dos açúcares encontrados em produtos vegetais, tais como cereais, beterraba e cana-de-açúcar. O novo conceito de bioetanol corresponde a sua fabricação utilizando como matéria-prima a biomassa lignocelulósica. A primeira etapa no processamento da biomassa para produção de etanol celulósico é o pré-tratamento mecânico ou químico, que visa destruir a estrutura celular das plantas, de modo a permitir as operações posteriores. Além da cana, outra planta com potencial para a produção de álcool é o sorgo sacarino. O presente trabalho tem como objetivo analisar o grau de influência dos pré-tratamentos ácido e alcalino no processo de deslignificação do bagaço de sorgo sacarino, visando à produção de etanol de segunda geração através dessa biomassa. A presente pesquisa foi realizada na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) - Unidade Universitária de Glória de Dourados, com a colaboração da infraestrutura dos laboratórios de multiuso e LAMAI – Laboratório de Microbiologia Agrícola e Industrial. As amostras de sorgo sacarino foram doadas pela EMBRAPA/Dourados - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. O sorgo obtido foi moído na sala da microdestilaria piloto do Curso de Tecnologia em Produção Sucroalcooleira. A média de umidade alcançada em cinco repetições, com biomassa de sorgo sacarino foi de 70,7618 %, mostrando-se relativamente alta, pelo fato das amostras terem sido moídas em moenda convencional, proporcionando baixa taxa de extração de líquidos. Foram realizados dois tipos de pré-tratamentos com o bagaço de sorgo sacarino, o primeiro com ácido sulfúrico (H2SO4), e o segundo com hidróxido de sódio (NaOH). Com o ácido sulfúrico o tratamento constituido por uma concentração de 5%, demonstrou maior solubilização - 32,2933 % de hemicelulose da biomassa inicial. No entanto, com o reagente hidróxido de sódio, a menor concentração (2 %), foi a que possibilitou maior deslignificação, solubilizando 49,1575 % de lignina da biomassa. A concentração que propiciou a menor solubilização foi 5 % de NaOH, solubilizando 22,1598 % da lignina presente na biomassa.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.