Análise das fontes de financiamento das inovações tecnológicas das empresas brasileiras no período segundo a Pintec - 1998-2011

Autores

  • Carlos Roberto Gabriani Professor do Curso de Ciências Econômicas da UFMS, doutorando em Economia pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS.

Resumo

Resumo: Neste artigo faz-se uma análise sobre as fontes de financiamento da inovação tecnológica das empresas brasileiras com destaque para o papel do sistema financeiro e dos mercados de capitais nacionais no seu financiamento. Sua importância está relacionada com a magnitude que assume a inovação tecnológica enquanto processo de concorrência e de inserção no comércio internacional. A análise estrutura-se sobre dados das PINTEC-IBGE desde sua origem em 1998 até 2011. Na primeira seção, analisa-se as principais fontes de financiamento utilizadas pelas empresas para financiar suas atividades inovativas. Na segunda, analisa-se as fontes de financiamento da P&D realizadas pelas empresas. Na terceira investiga-se as fontes de financiamento por tamanho das empresas. Conclui-se que no Brasil, dadas as características predominantes quanto ao grau de risco e de incertezas subjacentes às atividades inovativas, o sistema financeiro e os mercados de capitais podem desempenhar papel diferenciado no financiamento da inovação tecnológica e que o Estado tem ocupado um espaço, no financiamento das atividades inovativas, que poderia ser razoavelmente preenchido pelo sistema financeiro nacional.

Palavras-chaves: Inovação tecnológica; Pesquisa e desenvolvimento; Sistema nacional de inovação; Sistema financeiro; Financiamento.

Downloads

Publicado

27/01/2018

Como Citar

Gabriani, C. R. (2018). Análise das fontes de financiamento das inovações tecnológicas das empresas brasileiras no período segundo a Pintec - 1998-2011. ANAIS - ENCONTRO CIENTÍFICO DE ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA E CONTABILIDADE, 1(1). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/ecaeco/article/view/3178

Edição

Seção

Artigos Completos - ECONOMIA