O TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO NA AMÉRICA LATINA

Autores

  • Edicleia Lopes Cruz Souza Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Miriam Beatriz Schneider Braun Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Roselaine Navarro Barrinha UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná http://orcid.org/0000-0001-8947-6619

Resumo

O estudo tem por objetivo discutir o trabalho escravo contemporâneo na América Latina. Utilizando-se de dados da OIT, constatou-se que nesta Região existiam, em 2012, cerca de 1,8 milhões de pessoas em condição de escravidão contemporânea. Somente no período de 2007 a 2010, foram detectados cerca de 6 mil pessoas vítimas de tráfico de pessoas para o trabalho escravo, dos quais 27% eram crianças. Das pessoas traficadas 51% para fins de exploração sexual e 44% para o trabalho forçado. No geral, os países estudados têm consciência da existência e gravidade do problema e dispendido medidas de combate a essa prática.

Biografia do Autor

Edicleia Lopes Cruz Souza, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutoranda em Desenvolvimento Regional - Unioeste, Campus de Toledo.

Profa. Graduação em Ciências Econômicas - Unioeste, Campus de Francisco Beltrão.

Miriam Beatriz Schneider Braun, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Profa. Programas de Pós Graduação em Desenvolvimento Regional e Economia - Unioeste, Campus de Toledo

Roselaine Navarro Barrinha, UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Ds. Economia Social - UFF - RJ

Atualmente:

Profa. Programa de Mestrado em Economia - Unioeste, Campus de Toledo.

Profa. Graduação em Economia - Unioeste, Campus de Francisco Beltrão

Downloads

Publicado

28/01/2018

Como Citar

Cruz Souza, E. L., Braun, M. B. S., & Barrinha, R. N. (2018). O TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO NA AMÉRICA LATINA. ANAIS - ENCONTRO CIENTÍFICO DE ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA E CONTABILIDADE, 1(1). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/ecaeco/article/view/3142

Edição

Seção

Artigos Completos - DESENVOLVIMENTO SOCIOECONOMICO E REGIONAL