Trade-off entre a Taxa de Inflação e Desemprego: Uma estimação da Curva de Phillips Novo-Keynesiana Hibrida

Autores

  • Luma de Oliveira UFRGS
  • mateus Boldrine Abrita UEMS

Resumo

Neste artigo são desenvolvidas estimativas para a Curva de Phillips Novo-Keynesiana Hibrida (NKPC) para a economia brasileira. Esta é estimada a partir de dados trimestrais de 1995 ao primeiro trimestre de 2014, utilizando da Taxa de Desemprego aberta no período de referência de 30 dias do DIEESE e a taxa de inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A metodologia empregada condiz o modelo de Estado-Espaço. Os principais resultados dizem respeito à significância da expectativa de inflação e da correlação negativa entre o gap do desemprego e a taxa de inflação.

Biografia do Autor

Luma de Oliveira, UFRGS

Graduacao e mestrado economia UEMDoutoranda economia aplicada UFRGS

mateus Boldrine Abrita, UEMS

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2010) e mestrado em Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Maringá (2012). Atualmente é professor efetivo da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Monetária e Fiscal, atuando principalmente nos seguintes temas: economia monetária, fiscal, economia brasileira e mercado de capitais.

Downloads

Publicado

26/11/2015

Como Citar

Oliveira, L. de, & Abrita, mateus B. (2015). Trade-off entre a Taxa de Inflação e Desemprego: Uma estimação da Curva de Phillips Novo-Keynesiana Hibrida. ANAIS - ENCONTRO CIENTÍFICO DE ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA E CONTABILIDADE, 1(1). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/ecaeco/article/view/2831

Edição

Seção

Artigos Completos