Investidor e mercado financeiro: contribuições da psicologia econômica na tomada de decisão

MATEUS Boldrine ABRITA, Ana Paula Caserta Tencatt Abrita

Resumo


A teoria do homem econômico, ligada a ortodoxia neoclássica, a qual defende a racionalidade perfeita no processo decisório do homem vem sendo questionada, pela psicologia econômica e pelas finanças comportamentais. Essas novas teorias defendem que o homem não consegue dissociar elementos psicológicos no momento da tomada de decisão. Portanto, essas decisões sofreriam distorções de percepção e avaliação, pois elementos não racionais impediriam uma tomada de decisão perfeitamente racional. Nesse contexto se dá a relevância do tema, pois se distorções podem afetar os mercados financeiros isso pode resultar em mercados ineficientes. Após o levantamento das principais teorias da psicologia econômica e das finanças comportamentais, verifica-se que essas distorções de percepção e avaliação realmente estão presentes no processo decisório, simplesmente pelo fato de nossa mente estar suscetível a interferências psicológicas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.