Investidor e mercado financeiro: contribuições da psicologia econômica na tomada de decisão

Autores

  • MATEUS Boldrine ABRITA UEMS
  • Ana Paula Caserta Tencatt Abrita Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

A teoria do homem econômico, ligada a ortodoxia neoclássica, a qual defende a racionalidade perfeita no processo decisório do homem vem sendo questionada, pela psicologia econômica e pelas finanças comportamentais. Essas novas teorias defendem que o homem não consegue dissociar elementos psicológicos no momento da tomada de decisão. Portanto, essas decisões sofreriam distorções de percepção e avaliação, pois elementos não racionais impediriam uma tomada de decisão perfeitamente racional. Nesse contexto se dá a relevância do tema, pois se distorções podem afetar os mercados financeiros isso pode resultar em mercados ineficientes. Após o levantamento das principais teorias da psicologia econômica e das finanças comportamentais, verifica-se que essas distorções de percepção e avaliação realmente estão presentes no processo decisório, simplesmente pelo fato de nossa mente estar suscetível a interferências psicológicas.

Biografia do Autor

MATEUS Boldrine ABRITA, UEMS

graduado em economia UFMSmestre economia UEMprofessor efetivo economia UEMS

Ana Paula Caserta Tencatt Abrita, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Graduada em psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Downloads

Publicado

26/11/2015

Como Citar

ABRITA, M. B., & Abrita, A. P. C. T. (2015). Investidor e mercado financeiro: contribuições da psicologia econômica na tomada de decisão. ANAIS - ENCONTRO CIENTÍFICO DE ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA E CONTABILIDADE, 1(1). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/ecaeco/article/view/2817

Edição

Seção

Artigos Completos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)