HANSENÍASE – ASPECTOS PSICOLÓGICOS E SOCIOECONÔMICOS

Ana Paula Caserta Tencatt Abrita, Rosilene Caramalac, Mateus Boldrine Abrita

Resumo


Considerando que o Brasil é um dos líderes mundiais em prevalência da hanseníase, este estudo tem por objetivo discutir aspectos psicológicos, biológicos e socioeconômicos da doença, abarcando o impacto que estes geram no psiquismo do sujeito. O instrumento de coleta de dados utilizado foi a entrevista individual e os pressupostos da psicanálise para interpretação dos mesmos. A pesquisa foi realizada na Clínica Ayrakie, que fornece espaço para as atividades do ABRAPSI - IDEA Brasil, na cidade de Campo Grande, utilizando como população os indivíduos diagnosticados com Hanseníase em fase de tratamento pelo setor de dermatologia “Dr. Günter Hans” do Hospital Universitário “Maria Aparecida Pedrossian” da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. A amostra foi constituída por 5 (cinco) indivíduos em fase de tratamento poliquimioterápico. Através da análise dos dados das entrevistas, observa-se que a forma pela qual o sujeito lidará com o adoecer é particular, no entanto, questões como mudanças estéticas e dificuldades laborais são muito presentes nos discursos como pontos geradores de sofrimento. Desta forma, é possível destacar a necessidade de uma ampliação do tratamento de hanseníase, para além do âmbito biológico, contemplando aspectos socioeconômicos, psicológicos e investindo em políticas públicas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.