Controle e contabilidade em prol do desenvolvimento local: status quo de micro e pequenas empresas pontaporanenses

Karoline Almeida Cavalcanti, Rosenery Loureiro Lourenço

Resumo


Estudos apontam que normalmente MPE dispensam o controle e os relatórios contábeis, no entanto a teoria destaca que a contabilidade gerencial deve ser incentivada inclusive neste porte de empresa. A ausência ou deficiência de controle em MPE é um dos fatores que contribui para sua extinção, e em contrapartida, uma gestão eficiente corrobora para o seu estabelecimento e impacto local. Visto que as MPE possuem um importante papel na economia e são agentes relevantes para o desenvolvimento local, a questão que norteia esse estudo é “Que elementos de controle e contabilidade gerencial, presentes em MPE pontaporanenses, favorecem o desenvolvimento local?”. Esta pesquisa descritiva de amostragem não probabilística composta por 23 empresas teve seus dados coletados por meio de questionário e analisados por estatística descritiva. Os resultados indicam que as empresas apresentam variáveis fundamentais ao controle gerencial, à contabilidade gerencial e, por conseguinte ao desenvolvimento local. Quanto ao controle gerencial na maior parte das empresas notou-se a presença de um chefe na entidade; estratégia de negócio claramente definida; planejamento e comunicação dos planos e metas. Quanto a contabilidade gerencial observou-se a utilização dos relatórios contábeis para a tomada de decisões e controles paralelos como suporte. Quanto ao desenvolvimento local as empresas incentivam e patrocinam seus funcionários em cursos e palestras; também beneficiam-se em rede de contatos profissionais e não profissionais; além de estarem filiadas a sindicatos, evidenciando  importância dessas ao desenvolvimento do município e seu entorno. Alguns dos elementos encontrados estão presentes de forma incipientes nas empresas e necessitam ser potencializados.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.