A indústria de telefonia móvel na década de 2000: Desempenho inovativo da Apple, Nokia e Samsung com base na Teoria De Jogos

Angelo Rondina Neto, José Luiz Parré, Mateus Boldrine Abrita

Resumo


A indústria de telefonia móvel apresenta uma estrutura oligopolizada, com empresas de capital global atuando em uma indústria de fronteira tecnológica. Ao longo da década de 2000, pôde-se verificar uma mudança na estrutura de mercado desse setor, com firmas antes líderes de mercado perdendo espaço para firmas emergentes. O presente trabalho parte da hipótese de que as diferentes estratégias de inovação (via produtos ou via mercados) adotadas pelas firmas foram as responsáveis por essa mudança estrutural. O objetivo geral do trabalho é, então, analisar a influência dos diferentes tipos de inovação no desempenho das empresas da indústria de telefonia móvel em geral, e da Apple, Nokia e Samsung em particular. Essas são tomadas como firmas representativas da indústria. Para tanto, utiliza-se um modelo com base na teoria de jogos, analisando os dados das empresas em dois casos: i) Apple e Nokia, e ii) Apple e Samsung. Os resultados, sob equilíbrio Nash-Bayesiano, evidenciam que, em face a uma estratégia agressiva em inovações via produtos (Pesquisa e Desenvolvimento – P&D) por parte da Apple, há um pior resultado para a empresa competidora que decide competir com inovações via produtos (caso da Nokia) do que a que compete em inovações via mercados (caso da Samsung)

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.