Planejamento e sustentabilidade: uso de módulos na irrigação do arroz

Henrique Cunha Corrêa, João Fernando Zamberlan, Paulo da Silva e Souza Filho, Clandia Maffini Gomes

Resumo


As altas vazões utilizadas para irrigação do arroz é um fator que onera de forma substancial o produtor e vai de encontro ao que hoje se preconiza na economia, baixos custos de produção e uso racional dos recursos naturais. O trabalho teve por objetivo a redução de vazões e potências requeridas, mellhorarando a sustentabilidade e rentabilidade do produtor pela diminuição dos custos de produção. Para tal, adotou-se o fracionamento das áreas totais de lavoura, tomadas entre 10 e 190 ha, em glebas (blocos e talhões), efetuando a inundação de forma temporalmente escalonada. Para o cálculo das demandas hídricas foi aplicado um modelo simplificado do balanço hídrico, adaptado ao sistema “lavoura de arroz”. Descreve-se a aplicação do modelo e apresentam-se as vazões obtidas para as duas fases do processo de inundação contínua empregado no arroz: (a) inundação inicial e (b) manutenção da inundação durante o ciclo de irrigação. Obteve-se uma redução de até 64% na vazão de inundação inicial na forma escalonada em relação à inundação simultânea das áreas totais simuladas. As vazões específicas – módulos de irrigação (em l.s-1.ha-1) – correspondentes às vazões calculadas permitiram o ajuste de funções para a estimativa das demandas para as duas fases do processo de irrigação

 

Palavras-Chave: sustentabilidade, planejamento, redução de custos.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.