O tom poético nas produções de Raquel Naveira

Autores

  • Caroline Echeverria Carvalho Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.
  • Zélia Ramona Nolasco dos Santos Freire Universidade Estadual de Mato grosso do Sul.

Palavras-chave:

liricidade, poesia, prosa, Raquel Naveira.

Resumo

A literatura sul-mato-grossense se encontra em desenvolvimento, e desde a divisão do Mato Grosso da qual deu origem ao Estado de Mato Grosso do Sul ocorre um movimento voltado à afirmação de sua identidade cultural. Sabemos que uma das maneiras de se caracterizar a identidade de um povo é por meio das manifestações literárias produzidas em seu território. Diante desse processo, um dos objetivos desta pesquisa é apresentar produções literárias sul-mato-grossenses da escritora Raquel Naveira que muito contribui para refletir sobre a identificação cultural de um povo e de um lugar. Uma das temáticas recorrentes nas obras da autora sul-mato-grossense Raquel Naveira refere-se à figura feminina na sociedade patriarcal, a imagem conservadora da mulher no mundo pós-moderno, com isso, esse trabalho tem como foco o estudo comparado entre dois gêneros textuais produzidos pela escritora. Sendo eles: Mulher Encostada na Vassoura (1989) e o outro, Vassouras (2017), sendo o primeiro escrito em versos e o segundo produzido em prosa. Diante desses gêneros textuais, demonstrar-se-á a liricidade presente tanto no poema, como na crônica naveiriana, pois a poesia está nos olhos de quem a enxerga, o tom poético, além de presente num poema, também pode estar em outros tipos de textos, até mesmo numa paisagem, numa obra de arte ou numa canção. Para comprovar que um texto não precisa, necessariamente, ter sua estrutura em versos para que haja nele poesia, este trabalho apoia-se nas teorias de Salvatore D’Onofrio (1995), Octávio Paz (1982), José Guilherme de Merquior (1972), Giorgio Agamben (2002), Roman Jackobson (2003) e Marcos Siscar (2015). Apesar das oposições estruturais entre a prosa e a poesia, Raquel Naveira transmite poesia independente do gênero textual em destaque.

Biografia do Autor

Caroline Echeverria Carvalho, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Mestranda em Letras na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Zélia Ramona Nolasco dos Santos Freire, Universidade Estadual de Mato grosso do Sul.

Doutora em Letras pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Professora Adjunta da Universidade Estadual de Mato grosso do Sul. E-mail:

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O fim do poema. Cacto, São Paulo, n.1, p. 142-149, ago. 2002.

JACKOBSON, Roman. Linguística e Poética. In: JACKOBSON, Roman. Linguística e Comunicação. Trad. Izidoro Blikstein & José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 2003.

MERQUIOR, José Guilherme. A natureza da lírica. In: MERQUIOR, José Guilherme. A astúcia da mimese. Rio de Janeiro: TopBooks, 1997.

NAVEIRA, Raquel. O Avião Invisível. Rio de Janeiro: Ibis Libris, 2017.

NAVEIRA, Raquel. Via Sacra. Campo Grande/MS: Sergraph, 1989.

PAZ, Octávio. Signos em Rotação. In: PAZ, Octávio. O arco e a lira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

ROSA, Maria da Glória Sá; NOGUEIRA, Albana Xavier. A literatura sul-mato-grossense na ótica de seus construtores. Campo Grande, MS: FIC/MS – Investimento do Fundo Cultural do Estado de Mato Grosso do Sul, 2011.

SISCAR, Marcos. Figuras de prosa: a ideia da "prosa" como questão de poesia. In: SCRAMIM, Susana; SISCAR, Marcos; PUCHEU, Alberto. (Org.). O duplo estado da poesia: modernidade e contemporaneidade. 1. ed. São Paulo: Iluminuras, 2015.

Downloads

Publicado

12/05/2020

Como Citar

Carvalho, C. E., & Freire, Z. R. N. dos S. (2020). O tom poético nas produções de Raquel Naveira. ANAIS DO CONGRESSO DE PESQUISAS EM LINGUÍSTICA E LITERATURA, 1(1), 266–276. Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/CPLL/article/view/6962