As personagens femininas e a marginalidade na dramaturgia regional da obra Foi no belo Sul Mato Grosso

Autores

  • Mauro Rocha Mathias Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Palavras-chave:

Personagem, Feminino, Dramaturgia, Marginalidade.

Resumo

O estudo analítico que apresentamos neste artigo é parte de uma pesquisa que está em andamento, em fase de conclusão, sobre “As personagens femininas e a marginalidade na dramaturgia regional da obra Foi no belo Sul Mato Grosso”, desenvolvida como parte dos pressupostos teóricos do segundo capítulo da Dissertação para o Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). O objetivo deste trabalho é apresentar as diversas nuances das personagens femininas, por meio de uma aproximação progressiva; nessa etapa, após a o contraste entre personagens de ficção e personagem de obras teatrais, alicerçado em fundamentação teórica proposta por Antonio Candido e outros, em seu estudo sobre “A personagem de ficção”, nosso foco é observar e analisar o comportamento das personagens femininas idealizadas pela dramaturga Cristina Mato Grosso, bem como compreender o contexto de inserção de cada uma delas num ambiente de marginalidade. O método utilizado para que possamos alcançar o objetivo proposto foi a revisão bibliográfica ancorada em estudos de André Luís Gomes e Laura Castro Araújo. O trabalho encontra-se em andamento, contudo os resultados parciais obtidos até o momento são muito expressivos e satisfatórios para o que se propõe como objeto de análise. Dentre outras constatações, observou-se que “as personagens femininas que figuram como protagonistas em nossa Dramaturgia Contemporânea são raras, se comparadas com protagonistas masculinos” (GOMES & ARAÚJO, 2008, p. 76). Ademais, constatamos que no texto teatral que serve de objeto para nossa pesquisa, as três mulheres protagonistas da obra são construídas à medida que sua ação dramática se evidencia no texto escrito, por meio das rubricas. Candido, Prado, Gomes e Rosenfeld corroboram isso ao afirmarem que “embora seja apresentado ao público em forma semelhante às condições reais, o diálogo é concebido de dentro das personagens, tornando-as transparentes em alto grau” (CANDIDO; GOMES; PRADO; ROSELFELD, 1968, p.22). Além disso, essas personagens encontram-se em situação de marginalidade, o que reitera suas atitudes perante as adversidades que lhes foram impostas.

Biografia do Autor

Mauro Rocha Mathias, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Mestrando em Letras na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Referências

CAMPEDELLI, Samira Yousseff; SOUZA, Jésus Barbosa. Literaturas: brasileira e portuguesa. v. único. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

CANDIDO, Antonio; ROSENFELD, Anatol; PRADO, Decio de Almeida; GOMES, Paulo Emílio Sales. A personagem de ficção. 9.ed. São Paulo: Perspectiva, 1998.

GANCHO, Candida Vilares. Como analisar narrativas. 9. ed. São Paulo: Ática, 1991. Série Princípios.

GARBUGLIO, José Carlos (1968). Sábato Magaldi – Iniciação ao Teatro. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (5), 137-138. https://doi.org/10.11606/issn.2316- 901X.v0i5p137-138. Acesso em 02/09/19, às 22h38min.

LEMOS, C. (2018). A imitação em Aristóteles. Anais de Filosofia Clássica, 3(5), 84-90. Recuperado de: https://revistas.ufrj.br/index.php/FilosofiaClassica/article/view/16970/10328. MAGALDI, Sábato. Tendências contemporâneas do teatro brasileiro. São Paulo: EAD/USP, São Paulo, 1996.

MATO GROSSO, Cristina. Foi no Belo Sul Mato Grosso. [s.l][s.d].

MATO GROSSO, Cristina. Teatro em questão. Campo Grande: Gráfica e Editora Alvorada, 2009.

PALLOTTINI, Renata. Dramaturgia: a construção do personagem. São Paulo: Ática, 1989.

PRADO, Décio de Almeida. A personagem no teatro. 10 ed. São Paulo: Perspectiva, 2000.

PRADO, Décio de Almeida. História concisa do Teatro Brasileiro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

PIRES, Dennis Brandão Monte. O teatro marginal. Cad. de Pós-Graduação em Letras. Editora Revistas Mackenzie: São Paulo, v. 3, n. 1, p. 41-50, 2004. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/cpgl/article/viewFile/9664/5941

Acessado em 13/09/2019, às 10h50min.

SCHÜLER, Donaldo. Teoria do Romance. 1.ed. 2. imp. São Paulo: 2000.

SCHWARZ, Roberto. As ideias fora do lugar. Companhia

Downloads

Publicado

12/05/2020

Como Citar

Mathias, M. R. (2020). As personagens femininas e a marginalidade na dramaturgia regional da obra Foi no belo Sul Mato Grosso. ANAIS DO CONGRESSO DE PESQUISAS EM LINGUÍSTICA E LITERATURA, 1(1), 119–134. Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/CPLL/article/view/6950