Educação bilíngue: transpondo conceitos

Ana Paula Simões Pessoa

Resumo


Ao falar em ensino bilíngue logo nos remetemos a duas línguas independentes com um grau parecido de proficiência em ambas. Entretanto, ao tratar desta temática, é necessária uma discussão mais profunda sobre língua, linguagem e o contexto no qual elas estão inseridas. Pesquisas no campo das linguagens, influenciadas pela sociolinguística da globalização (Blommaert, 2010, 2017), de perspectivas pós-estruturais da linguagem (Makoni e Pennycook, 2017, Heller, 2016, Garcia, 2017) têm buscado ampliar o olhar para questões da linguagem e políticas linguísticas mais abrangentes de se fazer pesquisa e considerar linguagem. Nesse sentido, o presente resumo tem por objetivo ressignificar o conceito de educação bilíngue. Para isso, apresentaremos alguns modelos de ensino bilíngue, suas características e algumas reflexões sobre educação bilíngue no século XXI. As contribuições de García (2009) e Canagarajah (2013a; 2013b) a respeito de um novo paradigma para a educação bilíngue no século XXI nos permitem enxergar as práticas bilíngues como um fenômeno complexo e fluído. Notamos, então, que as práticas bilíngues integradas são observadas a todo o momento para coconstrução de sentidos em salas com alunos bilíngues ao mesmo tempo em que eles se apropriam da linguagem e do conteúdo que está sendo trabalhado. Desta maneira, a relação entre línguas são mais dinâmicas, fundem-se umas às outras e se transformam nos usos dos falantes, construindo novos sentidos e até mesmo novas gramáticas. A partir do conceito de translinguagem apresentado pelos autores anteriormente mencionados, podemos interpretar o que acontece no mundo escolar plurilíngue e transcultural. Esta interpretação, feita por meio da lente da translinguagem, implica uma nova forma de ver o fenômeno das práticas bilíngues, uma vez que é uma abordagem centrada não em línguas, mas em prática de indivíduos bilíngues observáveis. Pretendemos com este trabalho contribuir para os estudos de educação bilíngue no Brasil e expandir perspectivas de linguagem, considerando-a como um movimento político, social e econômico.


Palavras-chave


Educação bilíngue; translinguagem; políticas linguísticas.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

CANAGARAJAH, S. Translingual Practice: Global Englishes and Cosmopolitan Relations. London: Routledge, 2013.

CARDOSO, Angela Cristina et al. "A gente pode aprender muito com essas trocas de línguas e não ficar preso numa língua só": práticas de linguagem na introdução do ensino bilíngue em sala de aula do ensino médio. 2015.

FERRARI, Lorene Fernández Dall Negro. En Españo ¡Qué lindo ! ¡Sabe dos idiomas! Em Português e em Espanhol. ¡Qué rico! Tá?: Um olhar situado sobre aspectos de translinguagem da interação professor/alunos emu ma escolar na fronteira de Brasil-Bolívia.

GARCIA, O. Bilingual education in the 21st century: a global perspective. [S.l.]: Wiley-Blackwell, 2009.

GARCIA,O.; MENKEN, K. Stirring the onion. In: GARCIA, O.; MENKEN, K. (Eds.) Negotiating language policies in schools. Nova Iorque: Routledge, 2010.

GARCIA, O. Language spread and its study in the 21st century. In: KAPLAN, R. (ed.). Oxford handbook of applied linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2011. pp. 398-411.

GARCIA, O.; LI WEI, LI. Translanguaging: Language, Bilingualism and Education. Nova Iorque: Palgrave MacMillan, 2014, edição kindle. DOI: 10.1057/9781137385765.

LUCENA, Maria Inêz Probst; CARDOSO, Angela Cristina. Translinguagem como recurso pedagógico: uma discussão etnográfica sobre práticas de linguagem em uma escola bilíngue. Calidoscópio, v. 16, n. 1, p. 143-151, 2018.

MONTEAGUDO, Henrique. A invenção do monolinguismo e da língua nacional. Niterói: Gragoatá. N.32, p. 43-53, 1 sem. 2012.

ROCHA, Claudia Hilsdorf; MACIEL, Ruberval Franco. Ensino de língua estrangeira como prática translíngue: articulações com teorizações bakhtinianas. D.E.L.T.A., 31-2. 2015 (411-415). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/delta/v31n2/1678-460X-delta-31-02- 00411.pdf. Acesso em 22 de setembro de 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Anais do Congresso de Pesquisas em Linguística e Literatura