Educação bilíngue: transpondo conceitos

Autores

  • Ana Paula Simões Pessoa Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Palavras-chave:

Educação bilíngue, translinguagem, políticas linguísticas.

Resumo

Ao falar em ensino bilíngue logo nos remetemos a duas línguas independentes com um grau parecido de proficiência em ambas. Entretanto, ao tratar desta temática, é necessária uma discussão mais profunda sobre língua, linguagem e o contexto no qual elas estão inseridas. Pesquisas no campo das linguagens, influenciadas pela sociolinguística da globalização (Blommaert, 2010, 2017), de perspectivas pós-estruturais da linguagem (Makoni e Pennycook, 2017, Heller, 2016, Garcia, 2017) têm buscado ampliar o olhar para questões da linguagem e políticas linguísticas mais abrangentes de se fazer pesquisa e considerar linguagem. Nesse sentido, o presente resumo tem por objetivo ressignificar o conceito de educação bilíngue. Para isso, apresentaremos alguns modelos de ensino bilíngue, suas características e algumas reflexões sobre educação bilíngue no século XXI. As contribuições de García (2009) e Canagarajah (2013a; 2013b) a respeito de um novo paradigma para a educação bilíngue no século XXI nos permitem enxergar as práticas bilíngues como um fenômeno complexo e fluído. Notamos, então, que as práticas bilíngues integradas são observadas a todo o momento para coconstrução de sentidos em salas com alunos bilíngues ao mesmo tempo em que eles se apropriam da linguagem e do conteúdo que está sendo trabalhado. Desta maneira, a relação entre línguas são mais dinâmicas, fundem-se umas às outras e se transformam nos usos dos falantes, construindo novos sentidos e até mesmo novas gramáticas. A partir do conceito de translinguagem apresentado pelos autores anteriormente mencionados, podemos interpretar o que acontece no mundo escolar plurilíngue e transcultural. Esta interpretação, feita por meio da lente da translinguagem, implica uma nova forma de ver o fenômeno das práticas bilíngues, uma vez que é uma abordagem centrada não em línguas, mas em prática de indivíduos bilíngues observáveis. Pretendemos com este trabalho contribuir para os estudos de educação bilíngue no Brasil e expandir perspectivas de linguagem, considerando-a como um movimento político, social e econômico.

Biografia do Autor

Ana Paula Simões Pessoa, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Mestranda em Letras na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Referências

Referências

CANAGARAJAH, S. Translingual Practice: Global Englishes and Cosmopolitan Relations. London: Routledge, 2013.

CARDOSO, Angela Cristina et al. "A gente pode aprender muito com essas trocas de línguas e não ficar preso numa língua só": práticas de linguagem na introdução do ensino bilíngue em sala de aula do ensino médio. 2015.

FERRARI, Lorene Fernández Dall Negro. En Españo ¡Qué lindo ! ¡Sabe dos idiomas! Em Português e em Espanhol. ¡Qué rico! Tá?: Um olhar situado sobre aspectos de translinguagem da interação professor/alunos emu ma escolar na fronteira de Brasil-Bolívia.

GARCIA, O. Bilingual education in the 21st century: a global perspective. [S.l.]: Wiley-Blackwell, 2009.

GARCIA,O.; MENKEN, K. Stirring the onion. In: GARCIA, O.; MENKEN, K. (Eds.) Negotiating language policies in schools. Nova Iorque: Routledge, 2010.

GARCIA, O. Language spread and its study in the 21st century. In: KAPLAN, R. (ed.). Oxford handbook of applied linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2011. pp. 398-411.

GARCIA, O.; LI WEI, LI. Translanguaging: Language, Bilingualism and Education. Nova Iorque: Palgrave MacMillan, 2014, edição kindle. DOI: 10.1057/9781137385765.

LUCENA, Maria Inêz Probst; CARDOSO, Angela Cristina. Translinguagem como recurso pedagógico: uma discussão etnográfica sobre práticas de linguagem em uma escola bilíngue. Calidoscópio, v. 16, n. 1, p. 143-151, 2018.

MONTEAGUDO, Henrique. A invenção do monolinguismo e da língua nacional. Niterói: Gragoatá. N.32, p. 43-53, 1 sem. 2012.

ROCHA, Claudia Hilsdorf; MACIEL, Ruberval Franco. Ensino de língua estrangeira como prática translíngue: articulações com teorizações bakhtinianas. D.E.L.T.A., 31-2. 2015 (411-415). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/delta/v31n2/1678-460X-delta-31-02- 00411.pdf. Acesso em 22 de setembro de 2018.

Downloads

Publicado

12/05/2020

Como Citar

Pessoa, A. P. S. (2020). Educação bilíngue: transpondo conceitos. ANAIS DO CONGRESSO DE PESQUISAS EM LINGUÍSTICA E LITERATURA, 1(1), 95–106. Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/CPLL/article/view/6948