PROPAGAÇÃO DO BARUEIRO POR ALPORQUIA

Izaltino Antonio de Oliveira, Adriana de Castro Correia da Silva

Resumo


A propagação vegetativa é o método mais utilizado na produção comercial de diversas culturas
ornamentais e frutíferas, tendo como vantagens a reprodução de todas as características da planta
matriz, gerando uniformidade, além da redução do período juvenil, antecipando a produção de
frutos, em comparação com a propagação sexuada. Algumas espécies nativas do Cerrado brasileiro
já são exploradas economicamente pelas populações locais, porém de forma extrativista, como é o
caso do baru. Dentre os meios de propagação vegetativa está a alporquia, que apresenta a vantagem
da obtenção rápida, de plantas maiores do que as obtidas em outros métodos. O objetivo do presente
trabalho foi avaliar a viabilidade da propagação vegetativa de plantas adultas de barueiro por meio
da alporquia realizada no verão, bem como determinar a necessidade do uso de regulador de
crescimento (ácido indol-butírico - AIB) no processo. O delineamento experimental utilizado foi o
inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e cinco repetições, sendo 8 alporques por
repetição. Os tratamentos foram constituídos pelas doses de AIB utilizadas: 0, 1000, 3000, 5000 e
7000 mg/Kg. O experimento foi conduzido na UEMS, Unidade Universitária de Aquidauana, com
plantas selecionadas no Parque de Exposições da cidade, entre os meses de Dezembro/2015 a Junho
de 2016. Após 90 dias da realização da alporquia, os alporques foram desmamados e avaliados
visualmente quanto ao enraizamento e, os enraizados, transplantadas em sacos plásticos de
polietileno, com redução de 75% de sua área foliar, e mantidos em viveiro telado, com irrigação
suplementar, para avaliação da sobrevivência, aos 90 dias após o transplantio. O enraizamento
médio ficou em 18%, sendo que a testemunha apresentou o maior índice (35% de enraizamento). O
índice de sobrevivência, após o transplantio, foi baixa, em torno de 15%. Os melhores resultados,
quanto a sobrevivência, também foram obtidos na testemunha, onde quase 70% dos alporques
transplantados se mantiveram vivos após 180 dias da realização da alporquia. Verificou-se, com
este trabalho, ser possível a produção de mudas de barueiro pelo método da alporquia, porém são
necessários maiores estudos em relação à real necessidade do uso do regulador vegetal para sua
obtenção.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.