A IMPLANTAÇÃO E IMPACTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE VACAS DE LEITE EM UMA PROPRIEDADE DE AQUIDAUANA

Elielton Dias da Silva Arruda, Henrique Kischel, Wilian Aparecido Leite Silva, Christopher Junior Tavares Cardoso, Mariane Gabriela César Ribeiro, Fabiana de Andrade Sterza

Resumo


O objetivo do trabalho foi aumentar a eficiência reprodutiva e produtiva do rebanho leiteiro por
meio da implantação de programas de inseminação artificial ao longo dos anos. Os dados refe-
rem-se a uma das propriedades assistidas pelo Programa Rio de Leite ao longo de três anos e que
tem sido modelo, por se adequar às recomendações do Programa. Nos dois primeiros anos do proje-
to a propriedade contava com 29 fêmeas da raça Girolando em idade reprodutiva, das quais eram
vacas lactantes não gestantes 72,41 % (21/29), 17,20 % (5/29) vacas lactantes gestantes 13,79 %
(4/29), 34,48 % (10/29) vacas secas não gestantes 3,44 % (1/29), 0 (0/29) e as vacas secas gestantes
10,34 % (3/29), 48,20 % (14/29). No terceiro ano a propriedade possuía um número menor de 19
fêmeas. Durante os anos eram realizadas 4 programas de Inseminação Artificial Tempo Fixo
(IATF). Os protocolo de IATF iniciaram-se em um dia aleatório do ciclo estral dos animais (D0),
com a inserção de um dispositivo intravaginal de progesterona-P4 (CIDR1,9g) e aplicação de 2,0
mg im de benzoato de estradiol (BE; Gonadiol; Zoetis). No D7 foram aplicados 0,5 mg IM de dino-
prost trometamina (PGF; Lutalyse). No D9 o dispositivo intravaginal foi retirado e foram aplicados:
0,5 mg IM Cipionato de estradiol (ECP;), 200 UI de eCG (Novormon) e 0,5 mg IM de dinoprost
trometamina (PGF; Lutalyse). As inseminações foram efetuadas no D11, 48 depois de retirado o
dispositivo P4. O diagnóstico de gestação foi realizado por ultrassonografia 90 dias depois da IATF.
Com a diminuição dos animais foi possível alcançar a seguinte situação: As vacas lactantes não ges-
tantes passaram para 0% (0/19), e vacas lactantes gestantes 57,89% (11/19), vacas secas não gestan-
tes apresentaram 0%, o que é desejado no rebanho mantendo, e as vacas secas gestantes 42,10%
(8/19). Conclui-se que, uma boa programação de inseminação durante o ano, assegura vacas parin-
do e produzindo leite o ano gerando um equilíbrio econômico para o produtor.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.