DIREITOS FUNDAMENTAIS E DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA: CRIANDO UMA NOVA PERCEPÇÃO POR MEIO DA CULTURA CINEMATOGRÁFICA

Sara Falcetti de Souza, Alessandro Martins Prado

Resumo


Mesmo diante da constante e urgente discussão sobre direitos humanos, o respeito a eles não se faz
concreto na sociedade. São inúmeros os equívocos que rodeiam as questões concernentes aos
direitos humanos e dignidade humana. Ideias fundamentadas no senso comum da sociedade
perpetuam há tempos, gerando uma verdadeira falta de consciência e empatia para com o próximo.
A mídia, infelizmente, acaba contribuindo como um dos principais mecanismos responsáveis por
esse quadro. Veicula notícias, na maioria das vezes, de forma parcial e tendenciosa, levando a
população e ter uma concepção distorcida dos problemas sociais e a crer que não existe alternativa
para mudar essa realidade. Esse conceito muitas vezes não é amplamente discutido. Vemos sua
relevância nas universidades, congressos e em outros locais em que se julga pertinente essa
discussão e estudo, entretanto, entre os alunos da educação básica, onde estão presentes muitos
jovens em formação, essa realidade não existe. Uma vez reconhecida a carência em informação
humanista nos ambientes escolares básicos, o projeto se torna importante e relevante quando, por
meio de tecnologias e obras cinematográficas, oportuniza essa problemática para dentro da vida de
jovens e adolescentes, fazendo-o refletir sobre assuntos que antes não conhecia ou possuíam ideias
pautadas no preconceito e senso comum que a sociedade tem sobre questões envolvendo os direitos
humanos. Diante disso, o presente projeto se justificou como uma tentativa de contribuir para uma
nova visão daquilo que os direitos humanos propõem, especialmente naquilo que se relaciona com
os direitos fundamentais e a dignidade da pessoa humana. Utilizando-se da própria linguagem
midiática, como filmes e documentários, objetivou-se contribuir para a desmitificação e mudança de
compreensão e práticas diante dos direitos humanos, contribuiu-se para a formação de jovens mais
conscientes diante de seus direitos e deveres na sociedade. É preciso propor o debate destas
questões na sociedade para que os sujeitos sejam levados a uma prática política de cidadania. E, no
que se trata do “educar para o nunca mais”, os documentários tiveram o importante papel de
mostrar uma outra verdade no que diz respeito a fatos da história mundial, trazendo também uma
nova postura do público diante disso. O projeto possibilitou o diálogo, o debate e a discussão com
os alunos da Escola Estadual Aracilda Cícero Correa da Costa. Esses jovens, que se mostraram
resistentes a ação proposta a princípio, já em seu decorrer, transformaram-se em jovens de opinião,
que expunham seus pontos e debatiam sobre o que se era tratado. Pode-se perceber a real vontade
que esses estudantes têm em aprender, desconstruir e criar, uma vez que houve inúmeras situações
de aprendizagem e interdisciplinaridade durante o referido projeto. Dessa forma, os objetivos
propostos pela extensão – debater, oportunizar conhecimento e proporcionar discussões – foram
alcançados com êxito.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.