AULAS PRÁTICAS DE BIOLOGIA CELULAR: UM ESTUDO DE CÉLULAS ANIMAIS E VEGETAIS

Karoline Aparecida de Sena, Isadora de Paula Silva, Elizangela Leite Vargas, Wállas Matos Cerqueira

Resumo


As aulas práticas são vistas como um complemento da matéria teórica, visto que instigam os alunos e ainda ajudam na melhor compreensão e fixação do estudo, despertando assim interesses e mais participações, podendo então descobrir habilidades que no decorrer do tempo poderão guiá-los a determinadas áreas. O presente estudo teve como objetivo observar e diferenciar as estruturas das células eucarióticas vegetal e animal. A aula prática foi desenvolvida durante a disciplina de Biologia Celular no laboratório de Zoobotânica da UEMS, Unidade de Dourados. Para estudo da célula vegetal, uma folha de Elodea sp. foi retirada e colocada sobre a lâmina, na qual acrescentamos uma gota de água e cobrimos com a lamínula. Já para observação de célula animal realizamos uma raspagem da parte interna da bochecha com um cotonete®, para obter células do epitélio da mucosa oral. A amostra foi colocada na lâmina por meio de esfregaço, no qual foi acrescentado uma gota de azul de metileno, em seguida cobriu-se com a lamínula. As lâminas foram observadas em microscópio óptico, utilizando aumentos crescentes das objetivas. Nas células de Elodea sp. observou um grande número de células justapostas, e no aumento de 400x o grande número de cloroplastos, visíveis devido ao pigmento clorofila contido nesta organela. Foi possível notar no interior das células o fenômeno da ciclose, que consiste em uma corrente citoplasmática que possibilita ao conteúdo celular a realização de um movimento favorável ao melhor aproveitamento da luz pelos cloroplastos. Tendo em vista que os cloroplastos são as organelas vegetais onde acontece a conversão da energia do sol, juntamente com elementos inorgânicos (água e gás carbônico), resultando em moléculas orgânicas ricas em energia (carboidratos), é por meio deste procedimento que as plantas fabricam seu próprio alimento pela fotossíntese. A observação das células da mucosa oral só foi possível devido ao uso do corante, pois ao contrário das células vegetais não possuem pigmentos. Notamos a presença de células aglomeradas e individualizadas. Em todas as células foi possível identificar o núcleo, como uma estrutura esférica ou oval intensamente corado de azul e com posição aproximadamente central. O citoplasma apresentou uma coloração azul claro com presença de granulações minúsculas, e no seu limite a membrana plasmática. A aula prática foi essencial para diferenciar as estruturas das células eucarióticas animais e vegetais, além de compreender os conceitos apresentados na aula teórica.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.