VIVÊNCIAS DE AÇÕES DE LEITURA E REESTRUTURAÇÃO DE TEXTOS PRODUZIDOS A PARTIR DE OFICINAS PEDAGÓGICAS DO PIBID – SUBPROJETO DE LETRAS – UEMS - JARDIM – MS

Lucimara Mariani da Silva, Natividade Ferreira da Silva, Adelia Maria Evangelista Azevedo

Resumo


As vivências de ações de leitura(s) e reestruturação(ões) de textos produzidos a partir de oficinas pedagógicas do Pibid – Subprojeto de Letras – UEMS – Unidade de Jardim estão direcionadas às turmas do ensino fundamental, 9º B e C, ensino fundamental; e do 3º ano C, ensino médio, matutino da Escola Estadual Cel. José Pedro José Rufino, município de Jardim-MS. Congregam ambientes e níveis distintos em prol do conhecimento na área de Letras e das diferentes práticas pedagógicas de incentivo à leitura, à produção e à rescrita, atividades essas que são fundamentais para a formação de cidadãos críticos e inseridos no universo da leitura e da escrita. Desse modo, busca-se promover e incentivar à leitura, à produção e à(s) correção(ões) de textos produzidos direcionadas ao desempenho do público juvenil da escola parceira. As ações do Pibid – Subprojeto de Letras – UEMS – Unidade de Jardim destaca-se das demais, porque além de introduzir a(s) bolsista(s) do curso de Letras no ambiente escolar, estão aliadas às pesquisas de questões linguísticas e discursivas e à execução de ações pedagógicas direcionadas ao uso dos descritores nas correções e reestruturações. As etapas metodológicas foram organizadas a partir da diversidade de gêneros e de temáticas em torno das práticas de leitura e produção. Compreende-se assim que a leitura em si, é uma atividade permanente da condição humana, uma habilidade a ser adquirida desde cedo e treinada em varias formas. É um instrumento valioso para a apropriação de conhecimentos relativos ao mundo, uma vez que amplia e aprimora o vocabulário e contribui para o desenvolvimento do pensamento critico e reflexivo, pois possibilita o contato com diferentes ideias e experiências. Assim podendo desenvolver o gosto e o prazer pela leitura, tornando os estudantes capazes de compreender diferentes gêneros textuais que circulam na sociedade, de modo a formar leitores competentes. As oficinas estão em andamento, no entanto, alguns resultados parciais apontam para uma elevação dos acertos e do uso da variedade da língua portuguesa padrão nas produções narrativas curtas. Outras dificuldades linguísticas, ainda, são recorrentes, principalmente, no uso de operadores argumentativos. Destaca-se o incentivo à leitura e os usos de espaços de leituras. Os direcionamentos de planejamento e elaboração de ações pedagógicas das oficinas são norteados pelos de documentos oficiais, tais como os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa, a Base Curricular Nacional para a área de Língua Portuguesa (ensino fundamental) e demais autores da área da Linguística Textual.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.