Análise Econômica do Mercado Imobiliário Residencial no Brasil entre os anos 2003 e 2015

Marcelo Nogueira de Mavignier Vieira

Resumo


Este artigo tem como objetivo relacionar o cenário econômico brasileiro com o mercado imobiliário residencial, entre os anos de 2003 e 2015, com base em indicadores macroeconômicos e índices próprios do setor. Entender as razões do forte aumento nos preços dos imóveis neste período e analisar se é possível caracterizar uma “bolha imobiliária”. Verifica-se o cenário macroeconômico favorável do país, além de políticas públicas favoráveis, as quais influenciaram fortemente a situação do mercado imobiliário residencial brasileiro, gerando forte crescimento, especulação imobiliára e consequente aumento de preços, alterando os padrões de consumo de imóveis no país. Após análise dos fatores apresentados, pode-se concluir que houve um início de bolha imobiliária no Brasil. À partir de 2014, por razões diversas tratadas no artigo, os preços praticados no setor se estabilizam e a chamada “Bolha Imobiliária Brasileira” parece estar desinflando sem estourar. Este estudo trata da evolução de índices próprios do mercado imobiliário, em paralelo à indicadores macroeconômicos, buscando entender o aumento expressivo nos preços de imóveis no Brasil no período de estudo, a razão disto e se esta tendência pode ser caracterizada como “bolha imobiliária”. A cidade de São Paulo foi escolhida como base para este estudo por sua representatividade na economia brasileira e pela ampla oferta de dados para o período em questão. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.